sábado, 31 de maio de 2014

Explosão de sentimentos

  Me desculpa se não ouvi seus soluços, de verdade, sou meio surda, mas eu já estou aqui e nada vai conseguir me afastar, ou melhor afastar-me de seus lábios. Agora que já cheguei fico pensando em como senti saudade do seu riso no meu riso, e nós dois embriagados pelo mesmo copo de cerveja, senti saudade de nossos corpos juntos, tão juntos que parecia um corpo único, me pergunto quanto tempo faz desda última vez que estivemos assim? Talvez um dia, uma semana ou um ano, não importa más, afinal não posso mais ficar nem um minuto sem seus lábios calados aos meus, peço passagem para minha língua invadir sua boca tão repleta por sua ternura, peço permissão para minhas mãos trafegarem por entre teu corpo, peço permissão para roubar seu coração, será que você ainda tá ai, do outro lado dessa porta me esperando entrar, sentindo meu perfume e imaginando porque raios eu voltei, a resposta é simples eu posso ir de um lado ao outro, atravessar a cidade o país o oceano, mas o que eu sinto por você vai continuar a mesma coisa, meus sentimentos estão aqui explodindo por um aperto de abraços, por uma explosão de lábios e um acalento de corações solitários, então pra que mentir e fingir que nós não sentimos mais nada um pelo outro, nenhum de nós dois estaria pensando em uma justificativa para cairmos simultaneamente em nossos braços e abraços, nós somos chuva, somos sol, somos água e somos vinho, somos nosso veneno e somos nossa cura, somos incompatíveis mas isso faz tudo nos faz nosso amor perfeito.
Postado no Meu Inexplicável Mundo 

terça-feira, 11 de março de 2014

Por favor, não quero ser apenas uma lembrança

Me perdoa se não consegui acompanhar seus passos,
Acho que para uma menininha você corre muito bem,
Eu já não sou aquele herói,
O príncipe,
O protetor de sonhos,
Sou apenas eu tentando te alcançar,
Tentando não ser esquecido, embaixo da sai rodada do vestido,
Será que se eu gritar você ainda me responderá,
Será que se eu me jogar dessa ponte você olhara para trás,
Tenho medo de te esquecer,
Esse medo é do tamanho do que tenho de ser esquecido,
Quero que siga em frente,
Mas por favor,
Não esqueça meus braços,
Ou busque outros heróis,
Já te salvei tantas vezes que me sinto orgulhoso de você vencer tantas batalhas,
De virar a heroína.
Mas mesmo assim não me esqueça,


Não deixe que eu seja apenas um sonho bom.

sábado, 8 de março de 2014

Memórias (Repostado do MIM)

Resolvi postar uma continuação do conto ‘’Amizade ‘’ (esse blog tá parecendo um livro de contos, necessito postar sobre algo novo!!!)

Em mais um passeio pelo parque lembrei que tinha que visitar um novo amigo meio desmemoriado que eu tinha deixado de lado, fui até a casa dele e me surpreendi quando a mãe dele falou que ele ficava sempre me esperando diante da janela, eu só podia falar que estava muito ocupada e ela só podia responder que estava tudo bem, ela aproveitou minha presença para ir no mercado, quando ele me viu pulou em meus braços como uma criança, me puxou para o seu quarto e sentou-se na cama, o quarto estava completamente desenhado com imagens, rostos, desenhos de crianças  e sofisticados, eram memórias, tive que sentar para não cair, ‘’você não quer falar nada?’’ ele balançou a cabeça respondendo que não ‘’então porque me esperava?’’ ele sorriu e pegou o gatinho em baixo da cama ‘’que legal sua mãe deixou você ficar com ele!!!’’ ele levantou da cama e me mostrou que as janelas estavam com grades e telas, ‘’um meu quarto também tem é mais seguro e não entra mosquito’’ ele me mostrava tudo em todos os cantos da casa, ‘’vou esperar sua mãe chegar pra perguntar uma coisa a ela!!!’’ ele olhou-me com os olhos de criança querendo descobrir o quê que era ‘’não vou te falar’’ enquanto esperávamos a mãe dele chegar ficamos desenhando e comendo sanduiches, ao chegar ela se surpreendeu com a minha pergunta ‘’eu posso leva-lo para passear?’’ ‘’hoje?’’ ela provavelmente se surpreendeu mais com a minha resposta ‘’sempre!!!”, então ela deixou e nós passamos a sair sempre juntos, aliás eu, ele e o gatinho.
Conto escrito e postado por mim no (http://jujumeumundo.blogspot.com.br/2012/04/normal-0-21-false-false-false-pt-br-x.html)

''Amizade'' (Repostado do MIM)

Estava eu andando por ai e me deparo com uma imagem nada confortável de uma criatura totalmente dopada e tentando se matar, eu até pensei em deixa-lo, mas eu acho que meu bom senso falou mais alto na verdade creio que mia consciência gritou para eu o salvar. Não pense que eu sou uma pessoa ruim mais é que ele era a paixão platônica da minha amiga e sempre tive uma vontade louca de bater nele odeio pessoas metidas, portanto alguma coisa aqui dentro de mim falava VAI EMBORA CRIATURA, bem eu não fui e resolvi salva-lo do caminhão, era óbvio que eu não esperava que ele me agradecesse até porque foram poucas as vezes que ele me viu e as nossas conversas então nunca passaram do tchau, mas dessa vez foi diferente quando eu o salvei ele me agarrou tão forte que se comparava a uma criança procurando sua mãe.
_Rafael me solta.
_menina, você sabe quem eu sou né?
Depois dessa frase eu não segurei o riso e ele as lágrimas, então nós fomos para os bancos da praça da igreja, os gatinho que lá estavam pareciam o acalmar, ele os segurava parecendo uma criança, vendo que as horas estavam literalmente passando eu perguntei:
_Ok, eu sei que você não era uma pessoa normal, mas vamos combinar que você não esta no seu estado perfeito, o que houve?
E então com um sorriso de canto de boca e com algumas lágrimas pressas ele me responde ‘’perdi minha memória, parece que tem um monte de coisa aqui dentro que não significam nada’’, eu mais confusa do que tudo solto a celebre frase ‘’o que você esta fazendo aqui?’’, e  ele solta o gatinho que estava em seus braços e me responde que se perdeu eu poderia ser tão gentil, mas acho que essa palavra não faz parte do meu cotidiano ‘’VOCE SE PERDEU? Uma pessoa sem memória não sai de casa sozinha’’ ele começa a chorar e eu começo a perceber que além de desmemoriado ele estava machucado. ‘’olha só tem uma pessoa que pode te ajudar, vamos até lá tá?’’ ele balança a cabeça e pega o gatinho eu até tentei falar pra ele não levar mais era inútil. Então nós chegamos a casa dela gostaria que ela tivesse me recebido melhor afinal eu sou a melhor amiga podia ter esperado eu explicar que eu queria o ajudar a encontrar a casa, mas não, bastou ela me ver com ele que ela soltou todos os bichos do zoológico chegou a me falar que ela preferia vê-lo morto a vê-lo comigo, bem ficou um silencio na sala depois desse ataque de egocentrismo, levei a fama sem provar do doce isso é triste, no fim ela me pediu desculpa, mas eu não aceitei é claro, mas eu consegui encontrar a casa dele.
Foi assim que minha amizade com ele começou e com ela terminou.

Conto repostado e escrito por mim no (http://jujumeumundo.blogspot.com.br/2012/03/amizade.html)

O Gago e a Bailarina (Respostado do Mim)

Todo mundo já foi um pouco Gago na vida, já tropeçou nas palavras, correu pelas virgulas, engoliu o T, R, L, ou o D, enfim todo mundo já gaguejo, por amor, medo, raiva ou até dor…


Caminhando pelas areias ele a reparou,
Com seu vestido branco, e cabelos cacheados,
Fazendo cena e compondo a cena daquela tarde de verão,
Ela parecia feita de vento durante suas acrobacias pelo ar,
Parecia leve como a pluma, parecia que ia voar.
Imaginou mil maneiras de tentar conversar com ela,
Mas ele tinha medo de tropeçar em suas palavras,
De gaguejar..., enfim... desistiu antes mesmo de tentar,
Ele resolveu observa-la apenas de longe,                   
Todos os dias naquela mesma hora,
Mas um dia choveu, e a bailarina não apareceu,
O jovem rapaz se entristeceu,
Afinal se acostumou a dar ‘’bom dia para a vida’’
No ritmo das acrobacias da bailarina,
Da forma mais Intensa, verdadeira, emocionante, livre,
Esse era o seu bom dia e esse era o ritmo da bailarina,
Tão livre quanto vento.
Tão intenso quanto as ondas no mar,
Quando já estava quase indo embora,
Uma moça parou ao seu lado e deu o ‘’bom dia’’,
Ele respondeu meio sem graça, e com medo de engasgar em qualquer outra palavra, apenas um ‘’Bom dia’’ escondido em sua voz.  
A moça que estava ao seu lado começou a dar piruetas no ar,
E aos poucos ele foi percebendo que ela era a bailarina que alegrava seus dias,
Mesmo chovendo ela seguiu seu ritmo,
Com mais intensidade, alegria e sabedoria,
A bailarina o ensinou muitas coisas mais uma delas foi a de lutar e não desistir, enfrentar dificuldades mesmo que estas sejam tempestades.

Escrito e publicado por mim no (http://jujumeumundo.blogspot.com.br/2012/11/o-gago-e-bailarina.html)

E quando as luzes se apagarem…(Repostado do MIM)

Em seu mundo seus medos às vezes lhe pregavam peças, suas ideias constantemente se embaraçavam e entre outras coisas por causa dos remédios seu corpo o traia muitas vezes, esse era o seu pequeno  mundo  onde nada era perfeito até o dia que ela apareceu a estagiária meio louca do sorriso largo do abraço apertado, ela ficou primeiro na ala infantil, ele fugia constantemente para espiona-la enquanto ela brincava com as crianças até que um dia ela o viu e o chamou para fazer parte da brincadeira dês daquele dia ele passou a se divertir e a divertir todas as tardes, até que ela foi transferida, ele não podia acreditar no que via ela estava na sua ala, era como se seu frágil mundo tivesse desabado por completo, ela descobriria o que ele era, porque ele estava ali, ele não queria que ela sentisse pena dele que ela descobrisse que o estado dele era pior do que o daquelas crianças, ele não a viu se aproximar, ele já se encontrava perdido no mar de devaneios, e então com um sorriso bem largo ela o abraçou como fazia com as crianças sussurrou em seus ouvidos ‘’eu já sabia por isso pedi transferência… ’’ e então ele foi se acalmando e quando olhou para o rosto dela ela estava com o nariz de palhacinha e com duas ‘’Marias Chiquinha’’ ele começou a rir como uma criança, e ela continuando a frase: ‘‘… só para te fazer feliz’’.

Escrito e postado por mim no (http://jujumeumundo.blogspot.com.br/2012/04/e-quando-as-luzes-se-apagarem.html)

Meu amigo bêbado, e sua querida ponte. (Repostado do Mim)

ACHO QUE EU ENTREI NO PERSONAGEM POR ISSO EU ESCREVI O TEXO EM PRIMEIRA PESSOA.
Imagine você começar o seu dia encontrando um bêbado..., é a sensação é muito ruim, ainda mais se o bêbado é algum conhecido seu, ou melhor, seu melhor amigo... Estranho…
   Depois de um dia conturbado, cheio de grandes emoções e nenhuma boa notícia, todos estavam desesperados por não saber onde ele estava, já passava das cinco da madrugada do dia seguinte e ninguém se quer tinha ouvido falar da sombra dele, procuram por todos os cantos, becos e vielas, mas nada de encontrá-lo então por fim não restou-lhes alternativa a não serem me ligar, simplesmente me ligar, as tantas da madrugada, esperei o sol aparecer e fui à procura dessa criatura, mas sabe como é né? Existe um velho ditado que diz que quanto mais se reza mais assombração aparece, então enquanto caminhava sobre a ponte da ‘’Rua dos Anjos’’ uma voz escondida na neblina me fala ‘’oi’’, não me restou alternativa a não ser gritar e pular para trás afinal quem me chamaria tal hora.
   Mas quando fixei meus olhos na tal figura sobre a neblina, não tive dúvida era ele, aquela criatura descompensada que me fez sair da cama àquela hora.
‘’E ai, o que você tá fazendo aqui?’’
   Ele meio perturbado e sobre efeito de muitos goles de agua que passarinho não bebe me responde ‘’vim conversar amigavelmente com o mar, ele me ouve bem, (ele olha para baixo e fica meio enjoado e continua a falar), no momento acho que ele tá meio zangado.
   Bem naquele instante eu sabia que o gatinho tinha batizado o leite e pior que o gatinho estava querendo brincar com á agua. ‘’Você está de palhaçada com a minha cara, só pode, como assim, conversando com o mar? Se não estivesse sentado ai eu ia te dar um tapa tão forte que você ia parar no continente asiático ok?’’ Não houve resposta da parte dele, sabe quando as pessoas bebem de mais ou ficam alegres ou ficam depressivas, ou então começam alegres e terminam deprimidas ou vice-versa. ‘’O que você tá pretendendo? Você bebeu de mais pra ter coragem de fazer algo que não faria se estivesse sóbrio, pare de encarar o mar com esses olhos verdes, porque sinceramente não acho que se você se jogar vai encontrar o que esta procurando, além disso, ela era muito corajosa e lutou até o fim e você…, você tá sendo um covarde encheu a cara, para fazer algo que não faria, desistiu de viver sem nem tentar viver, desistiu de você, e sabe o que mais se quiser pular, pule, mais fique sabendo que você provavelmente não vai pro mesmo lugar que ela. ’’ Eu o olhei firmemente em seus olhos e falei novamente ‘’pula’’ então ele aproximou sua mão de seu bolso e por um instante eu realmente achei que ele fosse pular, mas ele apenas pegou um rosa e deixou cair sobre as aguas, ele se virou e  simplesmente me abraçou me disse adeus começou a chorar escorregou na grade e caiu, e eu simplesmente pulei atrás dele, me desesperei ao perceber que não o encontrava, mas quando ia desistir eu o encontrei entre as pedras, então o arrastei até a margem do rio o reanimei e ele sussurrou em meus ouvidos, juro que se ele brigasse comigo por o ter salvo naquele instante o jogaria de volta naquela água, mas eu o deixei falar e ele falou, ‘’você falou para eu pular e me salvou, não entendi’’ , ‘’você caiu e não pulou’’ então ele me olhou com a cara mais lavada do mundo e me falou ‘’que bom não ia pular mesmo, eu sou um covarde’’, ‘’ninguém te merece’’,
‘’obrigado, obrigado de verdade por salvar a minha vida e ter tentado me impedir, eu não sei se ia pular, se ia ter a coragem para fazer tal ato, eu só sei que naquele instante em que eu cai, eu cheguei a gostar, mas quando você me salvou, foi como se alguma coisa me falasse que eu tinha que sobreviver por mim e por todos que me amam’’ então nós nos abraçamos e fomos para casa.
Repostado e escrito por mim no meu outro blog (http://jujumeumundo.blogspot.com.br/2012/02/meu-amigo-bebado-e-sua-querida-ponte.html)